Notícias


Chocolate e o zumbido no ouvido

Você conhece alguém (ou até mesmo você) que ouve barulhos estranhos no ouvido, como um chiado de panela de pressão, apito, abelhas, motor, grilo, entre outros zumbidos perturbadores? Cuidado! Isso pode ser consequência do consumo excessivo de chocolate

Segundo estimativa da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (Apidiz), o zumbido atinge atualmente 30 milhões de brasileiros. Número que pode aumentar se as pessoas não tomarem consciência de algumas das causas, como o delicioso e irresistível chocolate. Para se ter uma ideia, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (ABICAB), o Brasil é o quarto maior consumidor da iguaria no mundo.


De acordo com a otorrinolaringologista, presidente da Apidiz e criadora da Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido, Dra. Tanit Ganz Sanchez, as pessoas não devem se preocupar apenas com o aumento do peso e a aparição de espinhas ao consumirem chocolates, pois um sinal de alerta para algo errado no organismo com o consumo em excesso, é o zumbido no ouvido, que é mais percebido, inclusive, à noite, impossibilitando uma boa noite de sono e uma vida normal.

Segundo a doutora, isso acontece porque o chocolate tem substâncias que podem agredir os ouvidos, como o açúcar e a cafeína. “Em alguns organismos, quando o açúcar (glicemia) aumenta no sangue depois da ingestão de doces, o pâncreas passa a produzir mais insulina do que o necessário para controlar a quantidade de açúcar presente. Essa insulina em excesso é o grande vilão do ouvido, pois provoca uma bagunça bioquímica e atrapalha o funcionamento normal. As pessoas que têm zumbido por problemas de metabolismo de açúcar ou cafeína, é preciso restringir o chocolate por 30 dias para que o ouvido possa se recuperar”, explica a médica.

O potencial para ocorrer problemas como esse tanto em crianças quanto adultos é o mesmo. Entretanto, a Dra. Tanit diz que as crianças que sentem zumbido, tontura ou ouvido tampado, muitas vezes não se incomodam nem se preocupam como os adultos e, portanto, nem se queixam aos pais. “Eles não ficam sabendo ou, se ficam sabendo, não vão achar que pode ter relação com chocolate”, afirma pedindo uma atenção redobrada dos pais ao darem chocolates às crianças.

 

Comer até se lambuzar?
A Dra. Tanit Ganz diz que não existe dose mínima nem máxima recomendada para o consumo de chocolate por uma pessoa, porque cada organismo tem uma sensibilidade diferente.

O que certamente se pode recomendar é que o consumo seja mais direcionado para aqueles tipos com alto teor de cacau. - Dra. Tanit Ganz Sanchez
A cafeína também encontrada nos chocolates, acelera o sistema nervoso e como o zumbido já é, por natureza, um “ritmo acelerado”, ele pode aparecer ou piorar ainda mais. “Isso acontece cerca de 1 hora após tomar a cafeína, que é encontrada não apenas no chocolate, mas também no chá preto e no mate, no refrigerante, nos estimulantes e no chimarrão e a esse consumo o ouvido reage causando zumbido ou tontura”, complementa.

A otorrinolaringologista diz que se a pessoa apresentar o zumbido após a ingestão do chocolate durante a Páscoa, por exemplo, que é o período do ano onde as pessoas mais se “esbaldam” nesse doce, ele tende a ser temporário. “Em algumas pessoas ele desaparece, porém outras precisam recorrer a tratamentos específicos, principalmente se a pessoa substitui o chocolate por outro tipo de doce, que também causa o zumbido”, alerta.

4 cuidados para evitar o zumbido causado pelo excesso de chocolate

  •   Comer com moderação, pois não existe um número mágico de peso, quadradinhos ou barras para consumo;
  •   Dê a preferência para chocolates com pelo menos 70% de cacau;
  •   Substitua pelos chocolates diets;
  •   O alfarroba, que é um substituto do chocolate e não tem açúcar, glúten ou lactose pode ser consumido, porém, com moderação por qualquer pessoa.

 

Fonte: Dra. Tanit Ganz Sanchez

Texto: Juliana Klein / Foto: ©file404/Shutterstock.com

 


08-07-2016 04:23:19